08 janeiro 2014

Guia turistico de Doha

Uau, fazem quarto anos desde a minha ultima postagem. Resolvi voltar ao blog para ajudar alguns amigos que vao fazer uma conexao em Doha e precisam de dicas rapidas sobre o que fazer aqui (Eh, eu ainda moro aqui). Este texto foi originalmente escrito para a Revista Pib e nao foi revisado para esta publicacao.

Enjoy.




 Doha é a capital do Qatar, um país árabe encravado na Península Arábica a leste da Arábia Saudita.  O país, conhecido por sediar a rede de TV Al Jazeera, saiu da pobreza nos anos 40 com a descoberta de petróleo e, principalmente, do gás natural. Antes disso, dependiam da pesca, da criação de camelos e das pérolas. A independência aconteceu em 1971 e o Qatar se recusou a fazer parte tanto da Arábia Saudita como dos Emirados Árabes, se estabelecendo como Estado independente. Atualmente, o Qatar tem uma das economias que mais crescem internacionalmente, e desde 2010, é o país com a maior renda per capita do mundo.
 
A religião oficial do Qatar é o Islã e os visitantes devem se vestir modestamente como cortesia para os cidadãos locais. O árabe é a língua oficial, mas o Inglês é amplamente difundido. O Qatar tem uma atitude relativamente liberal para o consumo de álcool por não muçulmanos (em hotéis), mas é estritamente proibido trazer álcool ao país.
 
Brasileiros precisam de visto para entrar no Qatar. A companhia aérea local (Qatar Airways) oferece visto de transito de ate 96 horas.

O que fazer em poucas horas...

 
Saindo do aeroporto, o visitante logo avistará o Corniche, um calçadão de sete quilômetros,
à beira-mar, que se estende do porto de Doha até a pirâmide do Hotel Sheraton. Ao longo do Corniche o turista terá a oportunidade de visitar muitas das atrações locais, como o Museu de Arte Islâmica, o Souq Waqif e o mercado do ouro.
 
O Corniche atrai um público diverso. De manhã, é popular para caminhadas e corridas; à noite reúne famílias locais e expatriadas para piqueniques e passeios à beira-mar.
 
O Museu de Arte Islâmica abriu suas portas em dezembro de 2008 e é uma construção robusta e moderna assinada pelo arquiteto I.M Pei, o mesmo responsável pela polemica pirâmide do Museu do Louvre em Paris. No primeiro andar exibições temporárias dividem espaço com um auditório, um café e uma loja de souvenires. No segundo e terceiro andares encontra-se uma das mais completas coleções de arte islâmica do mundo, com peças do Irã, Ásia Central, Egito, Síria e Turquia. O museu é um dos ícones arquitetônicos da cidade e reflete a essência do design árabe. A entrada é gratuita.
 

O que fazer em um dia...

 
Souq Waqif
 
Os tradicionais mercados árabes são chamados de souqs. No Qatar há diversos souqs, mas o mais turístico deles é, certamente, o Souq Waqif.
 
Construído sobre um antigo mercado beduíno, o Souq Waqif foi remodelado na última década, mantendo, contudo, o tradicional desenho dos mercados árabes. Numa rua principal encontram-se restaurantes para todos os gostos – cozinhas Qatari, indiana, libanesa, iraquiana, marroquina, italiana e asiática -, além de cafés com as tradicionais shishas (também conhecidas como narguilé), sorveterias e lojas variadas.
 
Margeando a rua principal têm-se várias ruelas; na verdade estreitos corredores repletos de pequenas lojas onde se encontra de quase tudo: de souvenires a tecidos, bugigangas, joias, roupas, perfumes, objetos de arte e uma infinidade de especiarias. E se for comprar... Deve-se pechinchar sempre!
 
Durante o verão em Doha – com temperatura média acima dos 40 graus, e muita umidade- a visita ao Souq Waqif pode ser penosa durante o dia, e por isso, as lojas geralmente abrem pela manhã, fecham ao meio dia e reabrem apenas no final da tarde. À noite o local está sempre muito movimentado. De qualquer modo, seja no verão, seja no inverno, a ida ao Souq Waqif é sempre uma boa pedida para quem visita Doha.
 
Num prédio anexo ao Souq Waqif encontra-se o Mercado dos Falcões. A falcoaria é uma arte nobre e uma forte tradição dos países do Golfo da Arábia. A arte de cuidar e treinar falcões para caça é milenar e já foi um dos passatempos favoritos dos beduínos, que precisavam domar as aves de rapina para que elas capturassem animais pequenos que auxiliariam no sustento da família. O mercado vende falcões já adestrados, além de acessórios para falconaria, como: protetores de braço para aterrissagem das aves, sistema eletrônico de guia e tapa-olhos para os falcões.
 
Saindo do Souq Waqif e cruzando a Grand Hammad Street chega-se ao Souq Al-Nasr ou Gold Souq, o mercado do ouro.  Aqui se encontra joias para todos os gostos – e bolsos. Há uma grande variedade de lojas espalhadas pelos shoppings da cidade, mas se o turista quiser visitar uma região dedicada exclusivamente aos metais e pedras preciosas, o Gold Souq é certamente o melhor lugar.
 
O Gold Souq, em verdade, compõe um conjunto de pequenas lojas dispostas numa área de aproximadamente um quarteirão, onde se encontra de joias exclusivas feitas a mão, a peças copiadas/inspiradas em designs famosos e, ainda importadas.
 
De um modo geral os preços são bem mais acessíveis que os praticados no Brasil, e, ao que consta, a qualidade e genuinidade das pecas é garantida e certificada. E, se quiser comprar, vale barganhar!
 
Do outro lado da cidade está a Katara ou Cultural Village. Concebida com o objetivo de estimular e compartilhar diversas manifestações culturais, através de exibições, concertos, peças, festivais e galerias de arte, a Vila Cultural pode ser tida como uma das grandes atrações turísticas de Doha.
 
Além dos modernos teatros, salas de concertos, cinemas, galerias de arte e uma linda vista para o mar, a experiência multicultural é refletida também na grande variedade de restaurantes instalados na Katara, que oferecem cozinhas libanesa, egípcia, turca, indiana, de frutos do mar... Para mais informações visite: www.katara.net.

O que fazer em um fim de semana...

 
Shopping Centers
 
Os Qataris são bastante consumistas, e, também por isso, Doha oferece um grande número de shopping centers. O maior e mais luxuoso deles, Villagio Mall, foi recentemente atingido por um incêndio de grandes proporções que, infelizmente, vitimou 19 pessoas, e está fechado por prazo indeterminado.
 
Alternativamente, os Qataris e expatriados podem contar com muitos outros shoppings, tais como: City Centre, Landmark Mall, Centrepoint, Hyatt Plaza, Royal Plaza, The Mall, Lagoona e, ainda, The Pearl – mega empreendimento construído sobre uma ilha artificial, que engloba lojas de grife, restaurantes, condomínios residenciais e uma marina.
 
Com preços convidativos e muitas opções de lojas (de grife, luxuosas ou nem tanto...), passear e fazer compras nos shoppings de Doha é sinônimo de diversão.
 
Noite
 
Se quiser experimentar a noite de Doha não se esqueça de levar seu passaporte. As regras para admissão de clientes nas casas noturnas são bem rígidas e controladas por lei. A entrada é permitida apenas para maiores de 21 anos e o passaporte é sempre conferido. O Crystal Lounge, do Hotel W é um dos melhores locais para se curtir a noite. Outro club conhecido é o Lava no Hotel Intercontinental, onde cada dia da semana tem um tema diferente: domingo é dia de música libanesa, segunda é a Ladies Night, terça em semanas alternadas tem música romântica e anos 80, quarta é a noite árabe, quinta e sexta música eletrônica e aos sábados é dia de Bollywood dance.
 
Restaurantes
 
Doha tem muitas opções de restaurante e o visitante deve aproveitar para explorar a cidade se tiver tempo livre. Para uma rápida imersão na cultura local a recomendação é experimentar os restaurantes do Souq Waqif, incluindo Tajine (marroquino), Le Gourmet (Internacional), Al Bandar (Seafood), Al-Adhamiyya (iraquiano), entre outros. Um dos pratos favoritos entre os locais é o shwarma, que pode ser encontrado por toda a cidade.
 
Outra opção é o Al Mourjan, um dos raros restaurantes da cidade que não fica dentro de um hotel. Sua localização à beira-mar, no Corniche, talvez seja mais atrativa do que sua cozinha. Mesmo assim, é uma boa pedida, considerando sua localização perto do Museu de Arte Islâmica e do Souq Waqif.
 
Além desses, há outras opções de excelentes restaurantes comandados por chefs estrelados pelo Guia Michelin. Um deles é o Saffron Lounge, do indiano Vineet Bhatia. Outro é o Spice Market, do chef Jean-Georges Vongerichten, inspirado nos sabores asiáticos. Vale lembrar também do La Maison du Caviar, bistrô francês conhecido internacionalmente e o novíssimo Gordon Ramsay  no Hotel Saint Regis Doha.
 
Passeios no deserto
 
Para os mais corajosos uma boa opção é o passeio no Inland Sea, a bordo de um confortável veículo 4x4. Os motoristas, muitas das vezes locais, tem orgulho de mostrar aos visitantes as dunas do deserto do Qatar. No fim do passeio, que pode ser feito de dia ou à noite, os visitantes podem saborear uma típica refeição árabe em tendas à beira do golfo. Os mais animados podem ainda dar um passeio no lombo de um camelo. Outra opção são passeios de quadriciclo pelas dunas, que exigem alguma habilidade dos condutores.

18 agosto 2010

Com buringa em casa

Mudei de casa!

07 junho 2010

26 abril 2010

So pro blog nao morrer

Um post sobre o nada

07 dezembro 2009

I should have known

De acordo com uma pesquisa publicada no jornal Canandian Press, o Qatar eh o pior pais do mundo para um expatriado viver.
*
A pesquisa foi encomendada pelo banco HSBC e entrevistou 3.100 expatriados no mundo todo. O Canada aparece em primeiro como o melhor pais para se viver seguido por Australia e Tailandia. A pesquisa indicou que no Canada os expatriados tem a melhor qualidade de vida e que eh relativamente facil se integrar a populacao local.
*
O relatorio cobriu temas como acomodacao, comida, entreterimento, sistema de saude, carga de trabalho e transporte. Mais da metade os entrevistados afirmaram viver no exterior por mais de cinco anos.
*
Na Tailandia, 60% dizeram ter empregada domestica. No Vietnam, 90%.
*
No final da lista aparecem Qatar em ultimo lugar, seguido de India, Russia, Inglaterra e China.

15 novembro 2009

Brasil 1 x 0 Inglaterra

Ontem foi o tao esperado jogo entre Brasil e Inglaterra em Doha. Com ingressos comprados a mais de tres semanas eu estava na expectativa para (\bem amigos da Rede Globo) ver um grande espetaculo e nao foi bem assim. O Brasil jogou bem mas nao encantou. A Inglaterra sem nove titulares era uma presa facil e o Brasil perdeu a oportunidade de fazer uma goleada historica por respeito demasiado ao adversario.

*
Antes de falar do jogo eh melhor comecar sobre a movimentacao ao redor do estadio. Assim como Brasilia, Doha nao eh uma cidade feita para pedestres. O transporte publico eh inexiste e um litro de gasolina custa 30 centavos (aqui pela primeira vez na minha vida vi o marcador de litros correr mais rapido do que o do preco nas bombas de gasolina), e assim, o carro eh o principal meio de transporte para 90% da populacao.
*
O estadio Khalifa foi construido para ser a sede dos Jogos Asiaticos de 2006, a versao regional do nosso Pan. Assim como o Pan, os Jogos Asiaticos deixaram para tras quase nenhum legado esportivo e alguns elefantes brancos sendo o estadio Khalifa o principal deles. Projetado para 60 mil pessoas o Khalifa eh raramente usado pois nao ha demanda para eventos esportivos de grande porte no Qatar. Nos dois anos que estou aqui so vi o estadio ser aberto duas vezes, uma vez para uma partida da selecao do Qatar pelas eliminatorias da Copa do Mundo e em um jogo decisivo da Liga do Campeoes da Asia (equivalente a Libertadores e Champions League).
*
Como era de se esperar o Khalifa obedecia a seguinte equacao: carros + 60 mil pessoas = sem estacionamento. Pensando nisso, um amigo que mora perto do estadio ofereceu a casa para um ‘esquente brasileiro’, ou seja, um churrasquinho com cerveja antes do jogo. A ideia foi prontamente aceita pelo grupo ate porque eh proibida a venda de bebidas alcoolicas nos estadios aqui.
*

Depois de devidamente ‘aquecidos’ fomos caminhando ate o estadio por entre o engarrafamento gigantesco que se formou. Chegando no estadio nos deparamos com uma torcida organizada (/hooligans) da Inglaterra carregando bandeiras, instrumentos e faixas em apoio ao time. O que os Ingleses nao contavam era que pela primeira vez em suas vidas eles assistiram a uma partida de futebol sobrios. Mas falarei mais sobre isso daqui a pouco.
*

Quando vi a quantidade de Ingleses pensei que o Brasil seria a minoria no estadio e acho que me enganei. O Brasil eh realmente o time das ‘massas’. Quem nao tem time bom (como o Qatar) acaba torcendo para o Brasil. Fenomeno tipico com os flameguistas de Brasilia dos anos 80 e os Sao Paulinos que provavelmente estarao pipocando por aih apos a confirmacao do no HEPTA-CAMPEONATO BRASILEIRO (/orgulho).
*
Enfim, ja fui a estadios na Inglaterra e vi que os ingleses cantam seus hinos e suportam seus times o tempo todo. Nao foi o caso no Qatar. Sobrios, eles nao cantaram nada (apesar das tentativas de um solitario corneteiro) e nem mesmo da ‘Ola’ eles participaram, o que valeu a antipatia de quase todo o estadio porque a ‘Ola’ morria neles.
*
Do lado do Brasil a torcida tambem nao foi muito melhor. Apos cantar nosso hino praticamente sozinho (/gracas a minha pratica constante de Karaoke estou bem afinado) vi que nao teria apoio nenhum para cantar uma de nossas cancoes de estadio (estou tao desatualizado que so me lembrei de ‘Uh-Terere’ e ‘Poeira’). Os estrangeiros que apoiavam o Brasil so sabiam gritar” Braaaazzzzzzil! E so.
*

Tambem foi estranho ficar reclamando sozinho do juiz e do time sem ninguem por perto para dar apoio e complementar os xingamentos. A unica coisa boa eh que xinguei a vontade em portugues e ninguem entendeu nada. Meus amigos depois me falaram que acharam muito ‘cool’ o jeito que eu torcia. (provavelmente um eufemismo para dizer que detestaram meus gritos).
*
Mesmo sem apoio ‘verdadeiro’ no fim das contas o Brasil dominou o jogo e poderia ter ate marcado mais gols se nao fosse a grossura do Luis Fabiano e a falta de sorte da bomba do Lucio na trave.
*
Sai do estadio feliz e ainda ganhei um caixa de cerveja que apostei com um amigo Ingles. Espero que o Qatar continue se esforcando para trazer eventos desse tipo em preparacao para a campanha deles para serem sede da Copa do Mundo de 2022. Meu unico conselho seria rever a lei seca nos estadios. Nao consigo imaginar uma Copa do Mundo onde as pessoas nao possam beber.

11 novembro 2009

Polemica fail

O Brasil nao eh mais o mesmo. Nao sei porque tanta comocao por causa dessa menina ‘Geisa’. Se ainda fosse o Qatar onde eh considerado escandalo homens e mulheres dividirem a mesma classe, mas, me espantou essa reacao toda da Universidade por causa da mini-saia.

*
Na minha epoca de UnB era muito pior. Tinha uma aluna que ia com mini-saias muito menores do que a da Geisa e ainda por cima com calcinha transparente (/tatiana). Me lembro de varios professores que tiveram que parar a aula porque perderam a concentracao com ela. A sorte eh que na epoca nao existia direito nem celular, quisa celular com camera.
*


*
Tinha menina que ia com calca de pijama (sem calcinha) para aula tambem. Devia ser a proximidade com os gays de Rel que nunca fez os alunos de ciencia politica se unirem para reinvidicar o estupro coletivo.
*
Lembrei tambem da festa dos calouros onde mais de uma vez ‘profissionais’ foram contratadas para fazer performace dentro das salas de aula da Universidade. Ninguem nunca perdeu uma noite de sono por causa disso.
*
Enfim, nao dou tres meses para a Geisa estar pelada na Playboy e encerrar a controversia. Escrevam!
*
Ps: Aos meus dois comentadores, o silencio era so preguica + falta de assunto.
Ps2: Sabado tem jogo do Brasil aqui em Doha. Preciso de sugestoes para colocar na minha placa de 'Filma eu Galvao'. Algo criativo para que eu apareca nas lentes da Globo.

28 setembro 2009

Um presidio chamado Qatar

Vou precisar parar de falar da Oktoberfest para tratar de um assunto muito serio. Desde o comeco do ano sou testemunha de um movimento conservador subterraneo e silencioso voltado a ‘moralizar’ o Qatar dentro dos padroes Islamicos.

+
Ate entao o Qatar era um pais Islamico com postura um pouco mais ‘relaxada’ que seus vizinhos Arabia Saudita e Kuwait. Nestes dois paises a producao, transporte, venda e consumo de alcool sao completamente proibidos.


+
No dia 01/01/2009, o Garveys, um dos bares mais populares entre os expatriados que vivem no Qatar vou invadido pela policia e obrigado a fechar as portas no dia do reveillon. Na epoca se disse que eles estavam abusando do direito de vender bebidas por deixar nao socios frequentar o clube e por isso teriam que fechar. O fechamento do Garveys causou um pouco de revolta (era o lugar favorito dos meus amigos) mas continuamos a vida, desfrutando dos novos bares do hotel W e os excelentes brunches com champagne.
+
Em Abril o Dunestock, um dos principais festivais de musica de/para/com (/unesco) expatriados foi cancelado sem maiores explicacoes. Dizeram que seria realizado em algum momento no ‘final do ano’.
+
Em Maio, uma nova legislicao regulou a vestimenta das mulheres aplicando multas a roupas consideradas indecentes. Regulou tambem o tipo de vestuario permitido para espacos publicos como shopping malls e restaurantes. Blusa de alcinha, mini-saia, shorts, decotes e etc estavam banidos sob pena de multa em dinheiro.
+
Em Junho comecaram os boatos sobre a nova legislacao para bares e clubes. Segundo ouvimos na epoca todos os clubes e bares do Qatar deveriam registrar e exigir uma carteirinha de ‘socio’ dos seus frequentadores. A carteirinha seria valida por um ano e ficava a criterio do clube ou bar ‘cobrar’ alguma taxa de adesao. Os boatos tambem davam conta que as carteirinhas seriam registradas com codigo de barras para gravar digitalmente a frequencia.
+
Em Agosto, as vesperas do Ramadam, anunciaram oficialmente que o lei das carterinhas entraria em vigor depois do Eid (feriado que acontece apos o Ramadan) e que novas regras para os estabelecimentos comerciais seriam publicadas em Setembro.
+
Em Setembro depois do feriado de Eid finalmente ficamos sabendo quais sao as novas regras. De acordo com a regulamentacao do Ministerio do Interior, ficou determinado:
+
  • Todas as festas na praia ou ao ar-livres ficam proibidas de vender alcool.
  • Nas festas ao ar livre eh preciso haver demarcacao de espacos por idade (+ e – de 21 anos)
  • Entrada em clubes e boates esta condicionada ao codigo de vestimenta aprovado.
  • So eh permitida entrada nos bares com a apresentacao da carteirinha do respectivo local. A entrada sera registrada e acompanhada pelo orgao competente.
  • As luzes dos estabelecimentos que vendem alcool devem ficar acessas o tempo todo.
  • Fica proibido ir a pista de danca com qualquer tipo de bebida.
  • Fica proibida qualquer demonstracao de afeto pessoal em publico.
  • Fica proibida a venda de alcool em hoteis antes das 5 das tarde.
  • Nos chamados brunches de champagne, o limite maximo eh de duas tacas por pessoa.
  • Nao eh permitido fazer festas particulares com alcool que tenham mais de 15 pessoas.
+
O Qatar que ja era um pais dificil de se viver acaba de ficar mais complicado ainda. A consequencia direta vai ser a popularizacao das ‘festa do karaoke’. Um dos poucos eventos que se enquadra dentro das novas regras.

27 setembro 2009

Oktoberfest 2009


A Oktoberfest é um festival de cerveja e uma feira de produtos e diversões celebrada originalmente em Munique (München), no estado da Bavária (Bayern), no sul da Alemanha, e disseminada por vários lugares do mundo. Em Munique, a Oktoberfest se inicia em meados de setembro e termina duas semanas mais tarde, no primeiro domingo de outubro - daí o nome. Essa era uma festa que eu sempre tive muito expectativa para ir, pois reúne duas das coisas que eu mais gosto atualmente - cerveja e carne de porco.

+
Bom, mas deixe eu começar pelo inicio. Cheguei a Munique no dia 19 de setembro, primeiro dia oficial da Oktoberfest. Já no aeroporto vi uma bandinha bávara tocando polka e alguns turistas bebendo cerveja em um biergarten (jardim da cerveja?) do lado de fora do Terminal 2. Como já tava na 'seca' para tomar cerveja, fui direto para a estação de trem comprar o meu ticket. Com grande dificuldade tinha reservado um hotel pela Internet. A boa noticia era que o hotel ficava a 800m da estação central de trem onde eu deveria desembarcar e a 500m de uma das entradas da Oktoberfest.
+
Já tinha programado todo o roteiro - endereço do hotel, localização da estação de trem e etc. - no GPS do meu celular. Que invenção! Depois de apenas 5 minutos que desembarquei na estação já estava me registrando no hotel. O hotel era de uma rede turca chamada Atlas e parecia um bunker dos tempos da Alemanha Oriental. O quarto foi o menor que eu já fiquei na minha vida. Tinha no Maximo tinha 2x2m2 e parecia uma pequena cela de prisão com uma cama minúscula. Depois do choque inicial dei de ombros e me lembrei que provavelmente estaria bêbado pelos próximos 4 dias e não me incomodaria com o tamanho do quarto.
+
Voltei à recepção, deixei a chave do quarto e rumei para a Theresienwiese que é o lugar onde se realiza a festa bem no centro de Munique. Já no caminho pude ver que a maioria das pessoas estava usando as roupas típicas da Bavária. As mulheres com vestidinhos coloridos e os homens com uma calça abaixo do joelho com suspensório e camisa xadrez.


+
Chegando La no lugar vi o que parecia ser um mega parque de diversões, cheio de alemães com as roupinhas típicas, cheio de turistas do mundo todo e poucos espaços vazios. Cada cervejaria tem sua própria ‘tenda’ de cerveja que é um grande galpão com mesas coletivas e geralmente uma banda tocando. Todos os lugares estavam lotados e rumei para o que parecia ser a menor fila. Na porta um Alemão com do barão Vermelho (aquele bigodao com pontas) não estava deixando ninguém entrar e chegava mesmo a ser grosseiro empurrando as pessoas pra fora com toda a forca quando a porta se abria para alguém sair.
+


Marinheiro de primeira viagem fiquei na fila por mais de uma hora sem conseguir nem sentir o cheiro de uma única cervejinha. Foi um dos momentos mais frustrantes da viagem. Nunca imaginei que no maior festival de cerveja do mundo o maior problema fosse comprar uma cerveja.
+
Decidi sair da fila do galpão e tentar encontrar um local no biergartern do lado de fora. Apos alguma espera vi que tinha vagado lugar em uma mesa onde 3 velhos tinham acabado de vomitar simultaneamente. Apos o pessoal da tenda higienizar o local e retirar o vomito com uma pa (true!) sentei na mesa com dois Italianos. Logo, logo, a cerveja estava fluindo normalmente e eu era uma pessoa mais feliz.
+


Depois de um tempo a fome apertou e eu decidi saciar a minha segunda vontade. Aproveitei e comi uma wurst muito gostosa que foi meu almoço. Nunca tinha comido uma salsicha tão gostosa na vida e o after taste da salsicha deixou a cerveja mais saborosa ainda.
+
Voltei para o biergarten e vi que na mesa alem dos dois Italianos tinha mais uns Franceses e um Alemão. Ficamos bebendo e conversando mais um pouco e o Alemão falou que tinha uns amigos dentro da tenda e que poderíamos entrar por uma porta lateral. A coisa funciona da seguinte maneira, você só consegue beber do lado de dentro se estiver sentado nas mesas. Como era o dia da abertura, estava totalmente lotado e não tinha nenhum lugar disponível e por isso que o Barão Vermelho não deixava ninguém entrar. As pessoas que não tem reserva chegam super cedo (10 da manha) e ficam la o dia todo guardando lugar.


+
Entramos e eu pude ver direito com as tendas funcionavam. De vez em quando, precisávamos desviar das garçonetes que passavam com trocentas canecas de cerveja em cada mao. Essas bávaras devem ser muito fortes porque cada caneca tem um litro de cerveja e eles carregam no mínimo 6 em cada mao.
+
Encontramos os amigos do Alemão e começamos a beber do lado de dentro. Depois de um tempo todo mundo subiu no banco e eu me fartei de aprender as coreografias alemãs sempre que uma musica especial tocava. Os alemães me ensinaram todos os tipos possíveis de brinde e o ambiente era mesmo de festa. Desde os mais novos aos mais velhos, estávamos todos com uma caneca na mao.


+
As 22:00 toca o aviso para o ultimo pedido e as 22:30 as tendas fecham. Pouco antes de fechar sai com o Alemão para beber um shot de Opshlang?? (não sei como se escreve) que é uma bebida destilada feita de pêra e tradicional da região. Tomamos a dose nos despedimos e voltei para o meu hotel. Não sei bem o que aconteceu mais acho que sai por um lugar errado e não conseguia encontrar o meu hotel de jeito nenhum. Tinha deixado o meu telefone com GPS em casa com medo de perder e coloquei meu chip no meu telefone antigo. Rodei, rodei quase uma hora e desisti de encontrar o hotel e fui procurar um taxi.
+


Vi que tinha parado bem longe e que realmente sai pelo lugar oposto de onde eu deveria ter ido. O taxi custou uns 8 euros e eu estava de volta ao meu minúsculo quarto de hotel.
+
Bom e esse foi o primeiro dia. Aguardem que ainda tem muito historia para contar dessa Oktoberfest.

09 setembro 2009

And the winner is....PENANG

Depois de alguma indefinicao finalmente escolhi o destino do meu feriado de Eid Al-Fitr. Vou para a Malasia, mas, especificamente para a Ilha de Penang. Diferentemente da Tailandia e da Indonesia que investem em turismo a varios anos, a Malasia eh considerada a 'joia escondida' do Sudoeste Asiatico e eh menos conhecida, mas, nao menos impressionante.
Penang eh um dos principais destinos turisticos da Malasia e tem um historia multi-cultural com influencia Malai, Chinesa, Indiana e Europeia. Outro atrativo eh que Penang eh apelidade de 'Paraiso da Comida' sendo o principal destinos dos foodies que visitam o pais. Para voces terem uma ideia, comida eh algo tao importante na ilha que os locais tem um ditado: 'Chiak Si Hock' ou 'Comer traz prosperidade' (thanks Google translate).
A capital de Penang eh a cidade de Georgetown e parte da lista de cidades patrimonios historicos da humanidade da UNESCO.  O hotel que eu vou ficar fica a uns 15km dessa cidade numa praia chamada Batu Ferringui.
Bom, todas essas informacoes estao no Wiki travel. Mal posso esperar a hora de chegar la e ver tudo isso pessoalmente. Proximo update so na volta da viagem.

26 agosto 2009

Tem mas acabou


Ramadan eh epoca de prateleiras vazias nos supermercados do Qatar. Nao sei bem o que acontece mas as donas de casa arabes entram em um frenesi shopaholistico e saem comprando tudo o que veem pela frente. Nao eh raro ir ao supermercado e nao conseguir encontrar um unico pe de alface ou um pedaco de filet.

Como o horario de trabalho eh reduzido durante o Ramadan, os supermercados ficam fervilhando de gente entre as duas e as quatro da tarde. Nesse horario todos os arabes ainda estao no meio do jejum diario e passear pelos corredores dos supermercados abarrotados de guloseimas deve ser ao mesmo tempo uma grande tortura e uma tentacao.

Por causa da fome - eu imagino - os arabes pegam tudo o que veem pela frente no supermercado e colocam em seu carrinho de compras. Qualquer coisa minimamente comestivel vira uma iguaria deliciosa na epoca do Ramadan. Para comparar deve ser a mesma sensacao que passamos ao ir ao supermercado depois do trabalho ou num domingo a tarde quando estamos com muita fome e preguica e acabamos por encher o carrinho so com besteiras e comida congelada.

A falta de produtos aliado ao fechamento dos restaurantes e fast foods durante o dia faz com que cozinhar em casa deixe de ser algo opcional e passe a ser uma necessidade absoluta. Pra mim a rotina nao muda muito porque cozinho quase todos os dias, mas vejo o perrengue que passam meus amigos cuja a alimentacao eh baseada exclusivamente em pizzas e hambuguers. Eles ficam perdidos na epoca do Ramadan.

Meu chefe hoje me disse que eles aguentam bem as duas primeiras semanas (reservas do corpo) mas na terceira e quarta semana ficam muito fracos e so pensam em comida. Um outro colega de trabalho egipcio disse que esqueceu de beber agua de manha e estava se sentindo muito desidratado e com a cabeca explodindo de dor.

Ainda bem que tenho meu estoque de agua 'escondida' na minha sala.


20 agosto 2009

The AC rant...again

Ar...Oxigenio...Condicao basica para sustentar a especie humana e a vida em geral no planeta Terra. Para os afortunados que moram no Brasil basta abrir uma janela para ter acesso a uma quantidade ilimitada de ar fresco. Aqui no Qatar durante o verao o ar custa dinheiro e a unica fonte de ar disponivel eh o ar-condicionado. Viver sem ar condicionado no Qatar eh como viver na Lua - nao da pra sobreviver, nao da para respirar.
*
Tudo isso so para reclamar que a porcaria do ar-condicionado do meu quarto nao esta funcionando novamente. Eu nao entendo como essa merda pode acumular tanta poeira em somente tres semanas. Ja chamei os idiotas do condominio para arrumar e ate agora nao apareceu ninguem. Qual eh a grande dificuldade de se limpar um filtro de ar-condicionado? Eu sei que o filtro deve estar com uma 1 tonelada de areia acumulada, mas mesmo assim, nao eh nenhuma construcao de foguetes para justificar tanta demora no reparo.
*
Nao foi o petroleo que trouxe desenvolvimento para esse lugar. Foi o ar-condicionado. Duvido que sem ar-condicionado esses paises do Golfo teriam chegado onde estao hoje.

16 agosto 2009

De volta ao mundo bege

Toda volta ao Qatar eh assim:
  • chego em casa as 3 da manha e encontro minha casa cheia de areia
  • minhas plantas morreram de desidratacao
  • o ar-condicionado do quarto parou de funcionar por causa do acumulo de areia
  • venho trabalhar sofrendo o maior jet lag da minha vida
  • la fora esta 37 graus e no escritorio a temperatura eh 17C
  • o sticker do carro venceu durante as ferias e o guardinha quis me barrar no portao
  • nao tem nada comestivel na minha geladeira
  • meu cafe-da-manha foi agua e sorvete
  • dificil decisao: ir ao mercado comprar comida ou a loja de bebida abastecer o estoque antes do inicio do Ramadam na quinta?
  • comecou a estocagem de alimentos para o Ramadam. Nao deve ter nada que presta sobrando no mercado ou na loja de bebida.

E eu me pergunto: Porque que eu voltei mesmo? Um dia eu fujo...ah eu fujo.

23 junho 2009

Que calor

Hoje esta fazendo 45C e a tal da sensacao termica eh de mais de 50C. Como ja descrevi no ano passado, por incrivel que pareca, a vida acima dos 45C pode ser comparada com a vida das regioes polares no inverno. O calor eh tao intenso que eh impossivel ficar fora de casa (do ar-condicionado) por mais de 15 minutos. Eh quase a mesma tolerancia suportada pelo corpo humano em regioes de frio extremo abaixo de zero.
*
Existe uma lei aqui no Qatar que se a temperatura estiver acima de 45C os trabalhadores bracais nao podem ficar expostos ao sol entre 11 da manha e 4 da tarde. Infelizmente nao eh isso o que se ve por aqui. Muitos dos termometros espalhados pela cidade marcam temperaturas claramente abaixo da temperatura real. Deve ser uma tentativa de impedir que as construcoes parem e os donos tenham prejuizo.
*
O imigrante de baixa renda aqui eh tratado como um escravo, com quase nenhum direito e sem qualquer beneficio. Por conta dessa situacao, varios paises do Golfo, inclusive o Qatar, sao regularmente incluidos na lista de paises com mais violacoes aos Direitos Humanos.
*
Eh uma grande contradicao - como quase tudo por aqui - mas sem esses 'escravos ' os paises da regiao nao tem condicoes de alcancar a 'visao modernizante' que eles tem para o futuro.
*
and on a different topic....
*
Ontem mais uma vez saiu no jornal a noticia de um casal preso por 'relacoes ilicitas'. Desta vez uma senhora indiana de 52 anos foi acusada de se prostituir e um jovem de 25 anos foi preso acusado de ser o cafetao dela. Isso serve para ilustrar o quanto eh dificil a vida dessas trabalhadores de baixa renda, ate a puta que eles tem acesso eh de baixa qualidade.
*
Rindo para nao chorar.

15 junho 2009

Wasta

Wasta eh a versao arabe do nosso 'sabe com que esta falando?' e eh usado aqui sem o menor constrangimento no trato com a burocracia Qatari. Alguem com muito wasta pode conseguir furar a fila no departamento de transito, ou pode ter seus documentos expedidos em tempo recorde pelas autoridades ou, ate mesmo, pode conseguir colocar dois quebra-molas para decorar a frente da casa.
*
Essa foto aih acima eh da casa que fica exatamente de frente a minha janela. Pego esta rua todos os dias para poder entrar no meu condominio. Certamente incomodado com a forma que seus compatriotas dirigem nesta rua lateral, o ilustre Wasta-man mandou instalar esses dois quebra-molas (ou quebra-costelas como dizem aqui). Nao satisfeito em ter so os quebra-molas ele ainda confeccionou barreiras de concreto para evitar que os Qataris desviem do quebra-mola. Como isso esta localizado EXATAMENTE DEBAIXO DA MINHA JANELA, tenho acordado de madrugada com o barulho de carros freiando em alta velocidade para evitar o quebra molas. Parece que o Land Cruiser esta entrando no meu quarto.
*




10 junho 2009

Dividindo e socializando.

Como ja foi dito no post anterior, a salada cultural de +10 nacionalidades a qual eu sou exposto diariamente, cada uma com seus proprios codigos sociais e culturais, faz com que algumas saias justas inevitavelmente acontecam.

Uma que sempre pega os Brasileiros eh a hora de socializar no bar. No Brasil tomamos nossa cerveja em garrafas. O ato de dividir uma garrafa de cerveja com o amigo, de compartilhar o mesmo liquido, eh muito importante . Ninguem chega numa mesa de 4 pessoas e pede 4 garrafas de cerveja. Eh preciso COMPARTILHAR a mesma garrafa entre os 4.

Nos EUA/UK eh mais comum beber o pint de cerveja. O pint eh uma caneca de 0,5 litro e assim como nosso chopp eh para ser degustada individualmente. Porem, nossa regra do chopp eh pedir uma rodada para todos e dividir a conta no final. Aih eh que comecam os problemas. Aqui o mais comum eh que cada pessoa seja responsavel por 'uma rodada' independente da bebida que esteja sendo consumida pelos demais. Tambem eh comum as 'rodadas de Doha' ou 'rodadas de fogo' onde uma pessoa vai comprar uma rodada de shots (tequila, jagermeister etc) para todos.

Como os pedidos devem ser pagos a cada rodada. Acaba que dificilmente uma rodada eh igual a outra. Portanto, como nao ha o rachao do final da conta, o tipico Brasileiro sempre fica com a impressao que gastou mais do que consumiu. Eh a mesma sensacao de levar aquela namorada que vive de dieta a um rodizio de carnes. Fica a impressao de que 'nao se aproveitou o investimento'.

Portanto, a dica aqui eh: participe das primeiras rodadas e depois de pagar a sua, va para o bar e faca seus pedidos individualmente. Com certeza a noite vai render mais do que ficar esperando os outros re-pagarem suas rodadas pra voce.

Cumprimentando.

Cada povo tem seu proprio codigo de conduta social, e sendo um Brasileiro expatriado, percebo diferencas em pequenas coisas que vistas de fora (ou por um estrangeiro) parecem ser imensas. Um exemplo simples eh cumprimentar alguem. Eu ja vi os seguintes tipos de cumprimento:

Aperto de mao simples (Inglaterra)
Aperto de mao destruidor de ossos (Alemanha/Austria)
Aperto de mao com ombrada (esquerda) - Turquia
Sem aperto de maos (India)
Seis narigadas na bochecha, sendo 3 na esquerda e 3 na direita. (Qatar – homem com homem)
Um beijo na bochecha (direita) seguido de abraco – Sao Paulo
Dois beijos nas bochechas (primeiro direita e depois esquerda) seguido de abraco – Rio
Tres beijos nas bochechas (direita-esquerda-direita) seguido de abraco – Brasilia
Homens beijando (Argentina)

Morando em um pais no qual eu tenho amigos de pelo menos dez nacionalidades diferentes eh de se esperar a hora do cumprimento ira causar alguma saia justa.
Definitivamente, a beijacao brasileira nao eh encarada com naturalidade. E, se por algum motivos, os 2 ou 3 beijinhos sao aceitos, o abracinho faternal certamente nao serah.
A melhor estrategia eh deixar o seu interlocutor tomar a iniciativa sobre o tipo de cumprimento que o deixa mais confortavel.

Nao...

Nao, esse blog nao morreu. Eh apenas cansaco + preguica + falta de tempo.

25 abril 2009

A must read

Artigo muito interessante publicado no Independent chamado The Dark Side of Dubai. Vale a pena ler. (em ingles)

Link: http://www.independent.co.uk/opinion/commentators/johann-hari/the-dark-side-of-dubai-1664368.html

22 abril 2009

Quiberesia!

Assim como dizem que pizza no Brasil eh melhor do que pizza na Italia, eu acho o quibe e a esfirra no Brasil sao mais gostosos do que os similares arabes. O Habibs eh mesmo uma grande ideia. Um fast food arabe com comida aparentemente mais saudavel e menos gordurosa que os MacDonalds da vida. Aqui, comida fast food eh aquela comida gordurosa da madrugada (modelo das lanchonetes tipo Sky’s), ou seja, eh um tipo de comida quer serve so para da aquele peso no estomago depois da badala.

Mesmo o quibe e a esfirra nao sao tratados como ‘lanches rapidos’. Para compra-los eh necessario esperar ate meia hora nos quiosques e lojas de comida tradicional. Mais popular que o quibe e a esfirra eh o shwarma (no Brasil conhecido como churrasquinho grego) que eh uma carne fatiada que fica rodando em um espeto e eh servida no pao pita com molho de alho, pimentoes, cebolas e tomates grelhados.

Um shwarma aqui custa uns dois reais e eh considerado o verdadeiro (/gold) fast food arabe.

Voltando as esfirras, aqui eles sao conhecidos como fatayer – traduzindo: salgadinho – e dependendo da origem do restaurante (libanes, sirio, persa, iraquiano) vai apresentar diferenca na composicao da massa.. Ja vi massa folheada, esfirra aberta, esfirra fechada, esfirra em formato de croiassant e etc. A carne nao eh tao temperadinha como a carne do Brasil, e mesmo a qualidade da carne aqui nem de longe se compara com o gado brasileiro.
Se alguem esta procurando alguma sugestao de negocio para ganhar dinheiro por aqui eu recomendaria uma franquia do Habibs. Por incrivel que pareca nao ha nada similar por aqui.

14 abril 2009

Fighting the elements


A vida no deserto eh uma luta constante contra os elementos da natureza. Terra, fogo, ar e agua estao constantemente desafiando nossa capacidade de adaptacao a este ambiente inospito. A ficcao arabe (mil e uma noites) descreve diversas situacoes onde os moradores da regiao devem lutar contra os elementos (uma forma de genio) para vencer situacoes de perigo.


Bom, essa introducao toda eh so para dizer que desta vez encontrei uma inundacao da minha sala de estar. Nas minhas ultimas ferias, encontrei uma duna de areia na sala por causa das constantes tempestades de areia. Agora - incrivelmente - choveu a beca enquanto eu estava fora. Ate dizem que eh um recorde ja que eh muito raro - quase impossivel - chover em Abril por aqui.
Tomara que minha casa nao pegue fogo nas proximas ferias. Noc, noc, noc na madeira. Credo!

26 março 2009

Going off

Este blog interrompera suas atividades de 27/03 a 13/04.

Vou dar um pulinho ali no Brasil e ja volto.

17 março 2009

C'est gold?

Me lembrei de uma historia engracada que aconteceu durante a minhas ultimas ferias em Paris. Estava andando com a Lu as margens do Sena quando fomos abordados por uma senhora cigana caminhando em direcao oposta. Ela fingiu surpresa, apontou para um anel no chao e imeditamente exclamou:
*
-C'est gold? (Eh ouro?) [Nota: nao sei porque ela resolveu falar gold em ingles e nao Or]
*
Da primeira vez, demorou para registrar o 'golpe', apesar da velha cigana ter se dirigido diretamente a Lu (dada a vasta experiencia da cigana, acredito que ela viu na Lu um alvo mais facil). Olhei para o anel, vi que era um metal vagabundo e respondi:
*
-C'est ne pas gold. (Nao eh ouro).
*
Na hora a velha ficou um pouco desconsertada porque a resposta normal nesse tipo de golpe seria eu cobicar o anel de ouro e responder:
*
-Oui, oui c'est gold!
*
Dado que a minha negativa quebrou a primeira estrategia deste classico 'conto do vigario', a velha entao, tal qual uma ouvires profissional comecou a mostrar o anel em detalhes e deu uma explanacao tecnica minuciosa de que o anel era de fato de ouro.
*
Como nao estava interessado neste 'grande negocio'. Respondi que ela tinha tido muita sorte e que fizesse bom proveito do seu anel 'de ouro'.
*
Nao convencida ela tentou de todas as formas vender o anel por um preco camarada e continuou nos importunando por mais alguns metros enquanto caminhavamos.
*
Eis que depois de caminhar mais uns 800 m avisto de longe uma nova cigana desviando o caminho para cruzar em nossa direcao. Qual nao foi nossa surpresa quando ela se abaixa em nossa frente e se ergue confiante perguntando:
*
-C'est gold?
*
Desta vez nem respondemos e apertamos o passo.
*
Eis que mais uns 20 minutos de caminhada, um outro cidadao convenientemente se abaixa e exclama exultante:
*
--C'est gold! C'est gold!
*
A partir dai vimos que estavamos na regiao dos Ce-Golds (trajeto entre a Notre Dame e a Torre Eifel) e como estavamos andando e nao tomando o metro, provavelmente ainda iremos encontrar muitos Ce-golds pelo caminho. O jogo entao foi ver quem eh que tinha mais cara de mane para ser abordado por um Ce-Gold.
*
Bom, o resultado eu nao posso contar.

08 março 2009

Lula no Qatar

Da Folha de Sao Paulo:

Sul-americanos e árabes acenam aos EUA
-
Quatro anos após Cúpula de Brasília, líderes de 34 países adotarão no Qatar declaração conciliadora com nova Casa Branca
-
Primeiro encontro havia sido marcado por duas críticas a George W. Bush; Lula, Bachelet, Cristina e Chávez devem ir a Doha
-
SAMY ADGHIRNIDA REPORTAGEM LOCAL
Em meio a expectativas de mudanças geopolíticas acarretadas pelo novo governo dos EUA, a segunda Cúpula América do Sul-Países Árabes (CASPA) levará no fim deste mês líderes de 34 países a um encontro em Doha, Qatar, que sucede a primeira edição, realizada em Brasília há quatro anos sob iniciativa do governo brasileiro.
Segundo a Folha apurou, a principal diferença entre as duas cúpulas, caracterizadas como eventos essencialmente políticos, é a posição conjunta em relação à Casa Branca.Em 2005, o governo do então presidente George W. Bush havia sido alvo de vigorosa condenação dos participantes da 1ª CASPA. A Declaração de Brasília criticava nominalmente a ingerência no Iraque, a política externa unilateral e as sanções econômicas à Síria.
A julgar pelos preparativos da Declaração de Doha, que está quase pronta, a chegada ao poder de Barack Obama apaziguou os ânimos de governos sul-americanos e árabes. O democrata se elegeu no fim do ano passado prometendo retirar as tropas americanas no Iraque, acabar com o belicismo de Bush e adotar uma política externa multilateral.
Diplomatas envolvidos na redação do documento da 2ª CASPA afirmam que, salvo mudanças de última hora, os EUA serão alvo não mais de críticas diretas, mas de acenos e sinais de disposição ao diálogo.
Países que ainda mantêm relações tensas com Washington, como Venezuela e Síria, pressionam pela inclusão de cobranças ou advertências a Obama, mas especula-se que as menções, se incluídas, acabarão diluídas no tom predominante entre participantes. Segundo justificou um diplomata em tom de brincadeira, "ainda nem há o que criticar [por parte de Obama]".
Gaza
O ponto mais controverso do texto é o parágrafo, ainda motivo de debate entre delegações, envolvendo a menção a Israel.Os 34 governos da CASPA concordam em reiterar a cobrança, feita em 2005, pela retirada dos territórios ocupados na Guerra dos Seis Dias, em 1967 -Cisjordânia, colinas de Golã (Síria) e fazendas de Chebaa (Líbano). Mas divergem sobre a condenação às recentes três semanas de ataque contra o Hamas em Gaza.
Argentina, pela histórica ligação com a comunidade judaica, e Egito, aliado de Israel, exigem que o Hamas também seja responsabilizado pela guerra em Gaza por disparar foguetes. O texto terá ainda alguns apelos previsíveis, como pedidos pela reconciliação étnico-confessional dos iraquianos e por uma "solução justa" na disputa entre Argentina e Reino Unido pelas ilhas Malvinas.
Para tentar garantir uma maior afluência de chefes de Estado árabes -apenas 5 em 22 haviam ido a Brasília- o governo do Qatar decidiu iniciar a CASPA na manhã do dia 31, no mesmo momento em que será finalizada a Cúpula da Liga Árabe, também em Doha.
Com exceção do rei de Marrocos, avesso a reuniões internacionais, espera-se a participação de todos os líderes árabes. Do lado sul-americano, além de Luiz Inácio Lula da Silva, a chilena Michele Bachelet, a argentina Cristina Kirchner, o venezuelano Hugo Chávez e o peruano Alan García confirmaram presença.
Embora o evento tenha pouca vocação econômica, as delegações debaterão maneiras conjuntas de enfrentar a crise e participarão de um seminário empresarial.

Colaborou THIAGO GUIMARÃES ,de Buenos Aires

05 março 2009

Sem tempo pra nada

Ufa, tou me cansando so de pensar nas proximas semanas. Muito trabalho acumulado e mais trabalho a caminho. Vou tambem dar uma voltinha grande pelo mundo. Eis o meu intinerario maluco:

Dia 10/03: Munique/Alemanha
Dia 11/03: Sarajevo/Bosnia
Dia 14/03: Istambul/Turquia
Dia 15/03: Doha/Qatar
Dia 27/03: Dubai/UAE
Dia 28/03: Sao Paulo e Brasilia.

AH.

03 março 2009

Breaking news: Nasceu Juliano

Ola pessoal,

Juliano Pinheiro Velho (non pun intended) nasceu hoje, 03 de Marco, 2009, as 9:30 (Qatar), 3:30 (Brasil). Ainda nao sei o peso e o tamanho (Update: 50 cm e 3.5 Kg) mas o menino eh cabeludo!! Mamae Porc e bebe Juliano passam bem. O parto foi normal. O pai Homero assistiu tudo mas a vovo vick's nao entrou na sala de operacao. Queria muito ter estado la para dar as boas vindas ao Juliano, mas, acompanhei tudo em tempo real (no meio da minha manha de trabalho, madrugada para vcs aih no BRasil). Viva a tecnologia!

Porc estou muito orgulhoso de voce!

Assim que chegarem as fotos prometo publicar aqui.

02 março 2009

Novas leis trabalhistas

vidaNo Qatar trabalhadores estrangeiros precisam que o empregador local seja seu "patrocionador" para conseguir o visto de trabalho. Este sistem ja foi criticado como uma forma de escravidao moderna pois eh injusto com os empregados.
*
Semana passada o Herdeiro ao trono (heir apparent) e vice-Emir (deputy Emir), Sheikh Tamin ratificou o decreto No 4/2009 que reforma as leis trabalhistas. Nao houve nenhuma mudanca extraordinaria, (o sistema de "patrocionio" e o regime de vistos de saida esta mantido) mas, ja eh um consideralvel avanco em relacao a lei anterior.
*
Um resumo da lei - cortesia do nosso jornal favorito A Peninsula - pode ser encontrado
aqui.
*
De importante a nova lei estabelece que:
  • Empregadores nao podem mais reter o passaporte dos empregados.
  • Expatriadas ocidentais agora podem "patrocinar" seus maridos no Qatar. Antes so homens tinham o direito de ser patrocinador das mulheres.
  • Mulheres Qataris casadas com homens nao-Qataris agora podem patrocinar sua familia para viver aqui.
  • O jornal diz que "Eh permitido aos trabalhadores de patrocinarem suas esposas e filhos de ate 25 anos e filhas mulheres solteiras de qualquer idade". Nao esta claro se a regra anterior de salario minimo para trazer as familias ainda esta em vigor ou se agora todos e qualquer trabalhador pode trazer suas familias para ca.
  • O Ministerio do Interior tem agora um papel melhor definido para resolver disputas sobre troca de "patrocionio".
  • Quem tem visto de trabalho agora pode ficar fora do Pais por mais de 6 meses sem perder automaticamente o emprego.
  • Trabalhadores expatriados que abandonam um emprego no Qatar tem que passar por uma quarentena de dois anos para poderem trabalhar aqui novamente. A unica excecao eh se o empregador antigo der uma NOC (non-objection letter). Se o trabalhador for demitido por algum motivo serio a quarentena eh de quatro anos.
  • Punicoes para quem emprega uma pessoa patrocinada por outra ou pra quem fica ilegalmente sem o visto de trabalho tambem estao mais claras.

*
Pra mim pouca coisa muda, mas, eh interessante ver que a pressao internacional por regras de trabalho mais justas (Qatar esta no grupo de paises com os piores sistemas trabalhistas de acordo com OIT) e quem sabe um dia enquanto eu estiver aqui, acabem com essa dificuldade enorme para o visto pra Brasileiros para que a Lulu posse vir de novo.

18 fevereiro 2009

Time has come

Starting today, I must pick myself up, dust myself off, and begin to make serious considerations about my life.

16 fevereiro 2009

Tela Quente...no Qatar



Olha o filme que vai passar hoje aqui no principal canal de filmes:

Didi Quer Ser Criana (sic)
16/02/2009 at 22:00 KSA
Rating: U
The candy factory Didi works at (sic) is facing some serious problems from a competitor whose products are full of dangerous flavours and colorants. Didi tries to warn the kids of the danger, but they don't believe him.
*
Sinopse:
*
Didi trabalha numa fabrica de doces que esta sofrendo serios problemas por causa de um concorrente que fabrica produtos cheios de sabores perigosos e colorantes. Didi tenta avisar as criancas do perigo mas elas nao acreditam.
*
Pensando bem, eu prefiro que o titulo (mesmo errado) venha em Portugues do que aquelas traducoes que a Globo faz para a Tela Quente. Por exemplo, um filme chamado "Private Resort" (Hotel privado) ganha o nome de "Ferias do barulho".
*
Inevitavelmente a narracao vai ser algo assim: (voz do locutor comercial da Globo) -"Uma galerinha muito louca vai aprontar muito e entrar em sérios apuros nessas ferias que prometem ser do barulho".
*
Viram, melhor mesmo eh chamar o Didi de Criana.

12 fevereiro 2009

Top story: Eu moro no deserto

De acordo com o jornal Peninsula, "Varias pessoas foram internadas ontem vitimas da inalacao de poeira apos uma forte tempestade atingir Doha". Bom, nao eh brincadeira. Ja tinha experimentado tempestades de areia neste ano que estou morando aqui, mas, a de ontem (que vai durar ate sexta) foi a maior que eu ja vi.
*
A sensacao eh de estar dentro de um nevoeiro com visibilidade maxima de duzentos metros. O vento eh muito forte e chega a balancar o carro enquanto estamos dirigindo. Outro percalco eh ter que usar o limpador de para-brisas para tirar a areia do vidro. Realmente uma experiencia unica.
Para variar os Qataris, enquanto estao dirigindo, lidam com a tempestade de areia de duas formas. Metade das pessoas vai reduzir a velocidade a 20 km/h e ligar as luzes de emergencia e a outra metade (para fugir dos engarrafamentos gerados pela primeira metade) vai dirigir a 120 km/h no acostamento. Como o ar esta carregado de poeira nao da para ficar do lado de fora por muito tempo. Eh dificil respirar e eh comum ficar cuspindo areia mesmo depois de horas da exposicao. Pequenas particulas vao se alojar no seu cabelo, sombrancelhas e barba. Depois dessa experiencia comecou a fazer um enorme sentido para mim a escolha dos arabes por suas roupas tradicionais (dish-dash&Abaya).
*
A poeira (areia) e tao fina que a menor fresta em uma janela ou porta vai trazer uma duna para dentro da sua casa.
*
Assim como o calor insuportavel do verao a melhor estrategia durante uma tempestade de areia eh nao sair de casa.

09 fevereiro 2009

A Lei Islamica

Muita gente me pergunta sobre as leis aqui no Qatar, e ate onde eu sei, o Qatar possui dois sistemas legais distintos: o primeiro eh a Sharia, baseada nos preceitos religiosos Islamicos e que aplica a lei mulculmana tal qual descrita no Alcorao. O segundo eh a Adlia (laica) que tem jurisdicao sobre todos os assuntos envolvendo os nao-mulculmanos. Ou seja, como residentes temos que respeitar e somos afetados pelos principios da Sharia, mas em caso de disputa legal, somos julgados sob a Adlia (baseada na common law britanica).
*
Para os mulculmanos, a Sharia regula todos os aspectos da vida publica e privada incluindo politica, economia, comercio, contratos, familia, bancario, sexualidade, higiene e questoes sociais. Eh por causa da Sharia que nao podemos comer carne de porco, namorar e jogar.
*
Em termos de alimentacao os mulculmanos so podem comer alimentos Halal (significa permitido, o contrario de Haram que significa proibido). Dentre os alimentos Haram, isto eh, proibidos estao:
  • Porco, sangue e qualquer carne de animal abatido em nome de alguem que nao seja Alah.
  • O unico modo permitido para o abate de animais eh o Tazkiyah que envolve cortar a garganta do animal e remover TODO o sangue. Qualquer outra forma de abate, incluindo choques, pancadas na cabeca, tiro e etc eh proibida.
  • Peixes e gafanhotos (nao me perguntam) sao a unica excecao desta regra.
  • Nao existe uma explicacao universalmente aceita para essa proibicao da carne de porco, mas esta escrito que todos os animais que vivem na sujeira ou lixo sao proibidos.

Ainda de acordo com a Sharia os esportes permitidos e encorajados sao: hipismo, arco e flecha, natacao, corrida e luta livre. Qualquer jogo com dados, cartas ou os chamados jogos de "azar" sao estritamente proibidos.

*
Em termos de casamento a Sharia tambem apresenta regras estritas. So podem se casar:

  • Um homem (virgem) so pode se casar com uma mulher virgem mulculmano ou com uma mulher casta de um dos "povos do livro". (não-muçulmanos que de acordo com o Alcorão, receberam as escrituras que foram reveladas por Deus para cristãos e judeus (Bíblia e Torá) antes de Maomé).
  • Uma mulher mulculmana so pode se casar com um homem mulculmano.
  • Um nao virgem so pode se casar com uma nao virgem e vice-versa.
  • O pai (ou guardiao) eh que devem escolher um candidato adequado para uma garota virgem, e a garota tem direito de dizer "nao" ate que a familia ache um candidato adequado.
  • Um gardiao (membro masculino da familia) nao pode mandar uma mulher divorciada ou viuva se casar de novo se ela nao quiser.
  • Eh obrigatorio que o pretendente de a mulher muita riqueza (presentes, ouro, ouro) por ocasiao do casamento.
  • A mulher so pode se divorciar com consentimento do marido. Ou sem consentimento se ela conseguir provar que ele eh impotente.
  • O homem pode se divorciar unilateralmente.

02 fevereiro 2009

Top Ten - Volume II


Mais uma listinha de top-ten atendendo a alguns pedidos. Voce sabe que eh um Brasileiro no exterior quando:

*
10. Seu carro tem uma banderinha do Brasil no retrovisor ou para-choque traseiro.

*
9. Quando viaja de ferias para o Brasil ao inves de roupas sua mala vai lotada de presentes para a familia, os amigos, o cachorro, o papagaio, o vizinho, sem contar nas roupas velhas que voce vai doar para a familia da diarista da casa de seus pais.

*
8. Voce deixa sua casa impecavelmente limpa quando sabe que vai ter visitas.

*
7. Voce sabe o que eh comprar alcool sem precisar mostrar uma identidade (ou licenca de bebida. ouch)

*
6. Voce sabe fazer uma festa....e sabe que nenhuma boa festa termina antes das cinco da manha.

*
5. Voce sabe que a Pascoa nao eh nada sem um bom prato de Bacalhau.

*
4. Voce usa havainas de todas as cores possiveis.

*
3. Seus amigos americanos acham que voce eh louco de colocar molho de tomate e maionese no cachorro-quente.

*
2. Voce come coracao de frango.

*
E o motivo numero que entrega um Brasileiro morando no exterior eh:

*
1. Voce tem ao menos duas camisas oficiais da selecao e sempre da um jeito de dizer que eh penta-campeao mundial para encerrar uma discussao sobre futebol.